Cardiologia Exames

6 dicas para melhorar a saúde do coração

imagem-sobre-saúde-do-coração-e-dicars-de-como-se-manter-saudável

Manter a saúde do coração é algo que você pode trabalhar todos os dias. O que você come, o quanto você se movimenta, se você fuma e o controle do colesterol e da pressão arterial são algumas das coisas que podem ter um grande impacto no seu coração.

Quer entender por que tudo isso interfere na saúde do coração e conferir algumas dicas pontuais? Confira:

A importância da prevenção

Nas décadas passadas, os médicos eram treinados no diagnóstico e tratamento das doenças do coração após sua ocorrência. Entretanto, a atual epidemia de doenças cardiovasculares exigiu uma mudança de foco para a prevenção.

Certamente, o uso de medicamentos como estatinas, quando apropriado, pode ser benéfico. Mas eles devem ser um complemento para melhorias no estilo de vida e não um substituto da responsabilidade pessoal por nossa saúde.

Essencialmente, os medicamentos devem estar acompanhados de uma prevenção baseada em três pontos principais:

Um plano alimentar baseado em alimentos integrais naturais, como frutas, legumes, feijão, grãos integrais, laticínios desnatados, frutos do mar e carne magra.

Exercício diário com uma abordagem em três frentes – condicionamento cardiovascular, treinamento de força e flexibilidade.

Educação de estilo de vida que se concentra no treinamento prático do mundo real, como cozinhar de forma saudável, bem como habilidades para contornar o estresse e alcançar a saúde mental/emocional ideal.

6 dicas para manter a saúde do coração

A partir da combinação entre prevenção e tratamento, preparamos algumas dicas para manter a saúde do coração. Veja só:

1. Passe menos tempo sentado e mais tempo em movimento

Em centenas de estudos, o exercício regular provou ter profundos – e numerosos – benefícios para a saúde. Segundo o Centers for Disease Control, a atividade física regular é uma das coisas mais importantes que você pode fazer pela sua saúde. Ela contribui para:

  • Controle de peso
  • Diminuir o risco de doenças cardíacas
  • Melhorar a composição corporal (sua relação gordura-músculo)
  • Redução do açúcar no sangue e do risco de diabetes tipo 2
  • Redução da pressão arterial e do risco de hipertensão
  • Redução do risco de alguns tipos de câncer
  • Fortalecimento dos ossos
  • Redução do estresse
  • Melhoria da qualidade do sono
  • Melhoria da capacidade de realizar atividades diárias e prevenir quedas

2. Perca o excesso de gordura corporal, principalmente a gordura da barriga

À medida que nosso peso corporal aumenta, aumenta também o risco de acúmulo de placas em nossas artérias e de ataque cardíaco.

O excesso de peso está associado a vários fatores de risco importantes para doenças cardíacas, incluindo pressão alta, diabetes tipo 2 e formas ruins de colesterol. A regra é: o que é bom para o seu coração também é bom para perder gordura da barriga.

A obesidade também pode levar à insuficiência cardíaca, uma condição muito grave na qual o coração é incapaz de bombear sangue suficiente para atender às necessidades do corpo.

A gordura na barriga não fica apenas ali, ocupando espaço. Ele bombeia substâncias químicas como citocinas que desencadeiam inflamação crônica em todo o corpo. Isso é um grande problema porque acredita-se que a inflamação crônica seja um dos principais fatores que ligam a obesidade a várias doenças incapacitantes, incluindo doenças cardíacas.

As células de gordura na barriga também produzem substâncias químicas, incluindo hormônios esteróides, que aumentam a probabilidade de você ganhar gordura. Sim, é um ciclo vicioso. Quanto mais gordura na barriga você tem, mais hormônios de armazenamento de gordura você produz e mais difícil é perder peso.

3. Cuide do seu colesterol

Durante anos, uma das dicas para a saúde do coração foi a redução do colesterol LDL (muitas vezes chamado de colesterol “ruim”). Esse era o principal alvo do tratamento para reduzir os eventos cardiovasculares. E certamente, melhorar o LDL ainda é muito importante.

Entretanto, agora há um consenso crescente de que o colesterol não-HDL é um melhor preditor de risco de doença cardiovascular porque o não-HDL contém não apenas LDL, mas outras partículas “ruins” que contribuem para o acúmulo de placas cheias de colesterol na parede da artéria.

4. Pare de fumar

Aqui está uma amostra das condições graves e com risco de vida que são o resultado direto do tabagismo:

  • Doença cardíaca
  • Problemas respiratórios
  • Câncer de pulmão
  • Câncer de rins
  • Enfisema

Portanto, uma ótima forma de melhorar a saúde do coração é trabalhar para largar o tabagismo.

5. Mantenha sua pressão arterial sob controle

É vital manter a pressão arterial sob controle porque quanto maior a pressão arterial, maior o risco de ataque cardíaco, derrame, insuficiência cardíaca congestiva, doença renal, impotência, perda da função mental e demência.

Além disso, aumentos dramáticos no risco de ataque cardíaco e derrame não começam com leituras de 140/90, os números que costumavam definir a pressão alta. Agora sabemos que riscos sérios e com risco de vida começam em leituras muito mais baixas, como 130/80.
Para baixar a pressão arterial, comece com uma abordagem saudável para o coração e baseada no estilo de vida. As principais práticas incluem:

  • Coma pelo menos 5 porções de vegetais e 4 porções de frutas diariamente
  • Reduza os alimentos ricos em calorias carregados com gordura, açúcar e/ou grãos refinados
  • Limite o consumo de sódio a um nível saudável
  • Limite o consumo de álcool
  • Faça exercícios diariamente

6. Consulte o seu médico para um exame de saúde do coração

Se você tem 45 anos ou mais, você deve consultar seu médico para um exame de saúde do coração regularmente. Durante um exame de saúde do coração, seu médico avaliará seus fatores de risco para doenças cardíacas, incluindo:

  • Pressão sanguínea
  • Colesterol
  • Dieta
  • Níveis de atividade física
  • Histórico médico e familiar

Seu médico informará se você está em risco baixo, moderado ou alto de ataque cardíaco ou derrame nos próximos cinco anos. A parte mais importante deste check-up é trabalhar com seu médico para gerenciar seus fatores de risco para melhorar sua saúde cardíaca.