O risco de doenças infecto-contagiosas em caso de enchente

Clínica Popular. Clínicas populares. Enchente. Coronavirus.

O aumento de chuvas e enchentes podem aumentar o risco de transmissão doenças como micose, hepatite e leptospirose, sendo assim, deve-se evitar entrar em contato com a água, especialmente durante períodos de enchente.

Entretanto, caso seja muito necessário o contato com esse tipo de água possivelmente contaminada, para limpar a casa ou recuperar objetos, é aconselhado calçar botas de plástico impermeáveis ou, caso não tenha essa opção, calçar mãos e pés com 2 ou 3 sacolas plásticas, uma por cima da outra, formando uma espécie de camada impermeável e prendê-las no punho e no calcanhar com um durex forte.

A chuva e as enchentes trazem inúmeras preocupações quanto aos agentes de contaminação, além deles, é importante ressaltar que o aumento das chuvas podem ainda levar à proliferação do mosquito da dengue e, para se proteger, deve-se usar um repelente diariamente e erradicar qualquer fonte de água parada que possa se tornar um foco de proliferação do mosquito.

Veja mais: Como evitar o novo coronavírus no trabalho

Agende

Veja mais: Verão 2020: o que fazer para manter a saúde

As 5 principais doenças transmitidas pelo contato com a água das enchentes

  1. Leptospirose

Leptospirose, popularmente conhecida como doença do rato, é uma doença infecciosa causada pela bactéria Leptospira que pode ser encontrada em fezes e urina de animais contaminados, principalmente ratos. Sendo assim, em situação de chuva e alagamento, a urina e fezes contaminadas podem se espalhar facilmente e atingir mucosa ou feridas presentes na pele, ocorrendo o contágio.

É importante ressaltar que a transmissão da leptospirose não acontece de pessoa para pessoa, apenas pelo contato com as fezes ou urina de animais infectados pela bactéria.

Os sintomas da leptospirose variam de pessoa para pessoa, entretanto, os mais comuns são febre alta, perda do apetite, calafrios, vômitos e diarreia. Seu tratamento é feito de maneira a amenizar os sintomas, em casos mais graves, os médicos responsável deverá avaliar o melhor tratamento para o caso clínico individual.

  1. Cólera

Causada pela bactéria Vibrio cholerae, a cólera é uma doença infecciosa intestinal que pode contraída por contato com água e comida contaminada por fezes de pessoas ou animais com a bactéria. Sendo mais comum em ambientes que não possuem água encanada ou saneamento básico, em épocas de chuva ou enchentes ocorre o favorecimento para a contaminação por essa bactéria.

Os sintomas da cólera são diarreia intensa, náuseas e vômitos constantes, cansaço excessivo, desidratação e aumento dos batimentos cardíacos. Seu tratamento é feito com antibióticos e muita ingestão de água, afim de manter a hidratação.

  1. Malária

Tendo como seu principal meio de transmissão o mosquito do gênero Anopheles, a malária é uma doença comum em lugares de clima quente. No Brasil, seu agente patológico é o protozoário Plasmodium sp. e, em épocas de chuva, a doença pode ter sua incidência aumentada devido ao acumulo de água e uma maior proliferação do mosquito contaminado.

Surgindo entre 8 a 14 dias após a picada do mosquito fêmea infectado pelo parasita, os sintomas mais comuns da malária são: febre, náuseas, vômitos, dor muscular, fraqueza, cansaço constante e pele e olhos amarelados. O tratamento deve ser feito com acompanhamento médico.

Veja mais: Coronavírus: os perigos para quem é diabético

Agende

Veja mais: Dor de garganta: principais causas e tratamentos

  1. Micose

Causada por fungos, a micose é uma doença que pode aparecer após períodos de chuva devido à umidade. Seu agente causador normalmente se prolifera em ambientes com muito umidade e pouco limpos. Sendo assim, quando se usa calçados durante a chuva, por exemplo, é provável que caso o pé não seja secado corretamente e o fungo consiga se desenvolver.

Seus principais sintomas variam de acordo com o local que ocorre, podendo haver coceira, aparecimento de manchas vermelhas na pele e alteração da coloração e forma da unha. Seu tratamento deve ser indicado pelo dermatologista e normalmente é feito com o uso de pomadas, cremes ou medicamentos orais para combater o fungo, e variam de acordo com o local da micose.

  1. Hepatite A

A hepatite A podem ser transmitidos em época de chuva, esse tipo de hepatite acontece por meio da ingestão dá água contaminada com o vírus, além de alimentos ou fezes de pessoas contaminadas. Além disso, esse tipo de hepatite é comum em lugares com condições com condições precárias de higiene e saneamento básico, o que torna mais fácil a disseminação do vírus em épocas de chuva.

Os sintomas da hepatite A são semelhantes à gripe, podendo haver dor de cabeça, dor de garganta, tosse e sensação de mal-estar que podem durar várias semanas. Seu tratamento da hepatite A tem como objetivo aliviar os sintomas e ajudar o corpo a recuperar mais rapidamente, sendo importante o acompanhamento médico.

Como evitar as doenças provocadas por enchentes

Para evitar as doenças comuns após as enchentes, é recomendado evitar entrar em contato com a água contaminada e, quando a água baixar, lavar com cloro tudo o que foi molhado, pois assim é possível eliminar possíveis microrganismos nocivos. Outras medidas preventivas é usar repelente nos dias a seguir as enchentes, só beber água clorada ou filtrada e comer alimentos que não tenham entrado em contato com as águas sujas da enchente.

É importante ressaltar também que ao aparecerem os sintomas, o acompanhamento com clínico geral ou algum outro especialista é necessário, contendo assim qualquer agravamento do quadro. Aqui, na Clínica SiM, temos mais de 30 especialidades prontos para atendê-los.

Agende sua consulta

Gostou? Compartilhe!

> Artigos relacionados

Cuidado cardiologia dias quentes

Calor aumenta o risco de infarto?

problemas respiratórios

Problemas respiratórios em tempos de chuva e como evitá-los

Deixe seu comentário