Diabetes: principais sintomas, tipos, tratamentos e cuidados

diabetes

A diabetes é popularmente conhecida como “açúcar no sangue” é uma grave e crônica doença que assola, em especial, os idosos. Mas como essa doença se manifesta, em outras palavras, quais os sintomas da diabetes?

Bem, para responder essa e outras questões em completude, continue lendo esse texto e saiba mais sobre esse importante assunto de saúde.

Os tipos de diabetes

A Diabetes Mellitus – o nome científico para a doença que motivou esse texto – pode ser dividida em 2 tipos.

  • Tipo 1: nesse tipo a origem é genética ou adquirida e o pâncreas do indivíduo produz pouca ou nenhuma insulina, hormônio responsável pela regulação da glicemia. Acomete indivíduos de todas as idades.
  • Tipo 2: o tipo 2 já é uma doença metabólica um pouco diferente e é derivada diretamente do estilo de vida do indivíduo. Para ser mais claro: da alimentação. Normalmente, acomete indivíduos acima de 45 anos.

Apesar dessa diferença fundamental entre os tipos, os sintomas da diabetes não mudam de um para o outro, a diferença está – quase sempre – ligada ao tratamento.

O tipo 1 trata-se com auto aplicações de insulina sempre que o indivíduo dor se alimentar, assim, o mesmo faz um controle direto dos seus níveis de insulina.

Já no tipo 2 o tratamento é basicamente medicamentoso, isso é, ingere-se medicamentos para estimular as células beta do pâncreas a produzirem insulina.

Se você já pesquisou sobre o assunto, talvez já tenha se deparado com o tipo 3, contudo, ainda há muito a se pesquisar sobre o assunto e não é uma terminologia universalmente aceita pela comunidade científica. Sendo assim, não entraremos no mérito nesse texto.

Bem, com essas informações básicas a respeito da diabetes, podemos nos aprofundar mais sobre as consequências que a mesma causa.

Os sintomas da diabetes

Independente do tipo da diabetes, alguns sintomas são universais e os indivíduos acometidos devem lidam com esses da melhor forma possível e sempre com acompanhamento médico.

  • Vontade de urinar em demasia, diversas vezes ao dia;
  • Mais fome que o normal;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Pés secos;
  • Perda de peso, mesmo com o apetite aumentado;
  • Mudanças de humor e irritabilidade;
  • Fadiga;
  • Muita sede;
  • Susceptibilidade a infecções, especialmente do trato urinário.

Para não ser absoluto, a diferença entra os tipos de diabetes está na velocidade que os sintomas se instalam. Enquanto no primeiro é algo rápido – em especial a vontade de urinar, sede e perda de peso – no tipo 2 é algo mais lento.

Isso se dá em especial pela própria natureza da doença. Insulina simplesmente para de ser produzida no tipo 1 e no tipo 2 sua produção diminui com o tempo.

fatores de risco para diabetes

Os sintomas da diabetes certamente não devem ser ignorados e algumas pessoas, devido ao estilo de vida ou doenças pré-existentes tem maior chance de desenvolvê-la. Nesse caso, estamos falando especificamente do tipo 2.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, esses fatores de risco são:

  • Histórico de diabetes na família;
  • Pressão alta;
  • Alterações do triglicerídeos ou colesterol;
  • Sobrepeso;
  • Síndrome de ovário policístico;
  • Apneia;
  • Apresentou diabetes gestacional; dentre outras.

Tratamentos e cuidados contra a diabetes

O tratamento envolve uso de medicamentos prescritos pelo médico e a adoção das seguintes atitudes e mudanças no seu estilo de vida:

• Opte por alimentos ricos em fibras e com pouca gordura;
• Substitua o açúcar por adoçante, de preferência stevia;
• Controle seu peso;
• Faça exercícios físicos regularmente;
• Reduza o consumo de bebidas alcóolicas;
• Pare de fumar;
• Mantenha o colesterol e pressão arterial sob controle;
• Meça sua glicemia com regularidade;
• Sempre consulte o seu médico;
• Jamais abandone o tratamento;

Cuidados especiais para portadores de diabetes

O paciente que é diabético deve adotar cuidados extras que são essenciais para evitar complicações e o desenvolvimento de novas doenças. São importante o acompanhamento regular com dentista (problemas odontológicos dificultam o controle da glicemia) e a consulta anual com oftalmologista para identificação precoce de alterações visuais e impedir o avanço das mesmas. Além disso, é preciso ter muita atenção aos pés, que sofrem com a perda da sensibilidades e dificuldade de cicatrização.

• Verifique seus pés diariamente (peça ajuda, se preciso);
• Lave bem os pés e enxugue com um pano macio, principalmente entre os dedos;
• Ande sempre com calçados confortáveis que cubram toda a extensão dos pés;
• Inspecione os sapatos para evitar que pequenos objetos e insetos (pedrinhas e aranhas, por exemplo) causem ferimentos.
• Escolha meias sem costura e troque-as diariamente;
• Use hidratante ou óleo vegetal, evitando passar entre os dedos;
• Corte as unhas em linha reta;
• Evite “mexer” em calos ou pequenas lesões (bolhas, unhas encravadas, arranhões, etc.);
• Informe ao profissional de saúde de sua confiança a existência de alterações nos pés.

Gostou desse texto? Leia mais sobre o assunto ou outros tópicos e fique ligado para manter um estilo de vida saudável.

 

Gostou? Compartilhe!

Deixe seu comentário