Endocrinologia

Diabetes: principais sintomas, tipos, tratamentos e cuidados

foto de mediação de diabetes pela clínica sim

A diabete que popularmente é conhecida como “açúcar no sangue” é uma doença crônica grave que se apresenta principalmente em idosos. Saiba como a doença se manifesta e quais os sintomas da diebetes.

Consutla com Endocrino com preço popular
Preço Por R$ 110

O que é diabetes e quais os tipos da doença?

A Diabetes Mellitus, nome científico da doença pode ser dividida em 2 tipos:

  • Diabetes Mellitus Tipo 1: nesse tipo a origem é genética ou adquirida e o pâncreas do indivíduo produz pouca ou nenhuma insulina, hormônio responsável pela regulação da glicemia. Pessoas de qualquer idade pode ser afetadas pela Diabetes Tipo 1.
  • Diabetes Mellitus Tipo 2: é uma doença metabólica um pouco diferente e é derivada diretamente do estilo de vida do indivíduo, principalmente por conta da alimentação. Normalmente se apresenta em pessoas acima dos 45 anos.

Apesar dessa diferença fundamental entre os tipos de diabetes, os sintomas não mudam de uma para o outra. A principal diferença está ligada ao tratamento.

O tipo 1 é tratado com a aplicação de insulina sempre pela própria pessoa onde faz um controle direto dos seus níveis de insulina.

Já no tipo 2, o tratamento é feito por medicamentos, igeridos com o objetivo de estimular as células beta do pâncreas a produzirem insulina.

Quais os sintomas de diabetes?

Independente do tipo da diabetes, alguns sintomas são universais e os indivíduos acometidos devem lidam com esses da melhor forma possível e sempre com acompanhamento médico. Conheça abaixo alguns sintomas relacionados à doença:

  • Vontade de urinar diversas vezes ao dia;
  • Mais fome que o normal;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Pés secos;
  • Perda de peso, mesmo com o apetite aumentado;
  • Mudanças de humor e irritabilidade;
  • Fadiga;
  • Muita sede;
  • Susceptibilidade a infecções, especialmente do trato urinário.

A diferença entra os tipos de diabetes está na velocidade que os sintomas se instalam. Enquanto no tipo 1 é algo rápido, em especial a vontade de urinar, sede e perda de peso, no tipo 2 é algo mais lento.

Isso se dar em principalmente pelas características da doença. Insulina simplesmente para de ser produzida no tipo 1 e no tipo 2 sua produção diminui com o tempo.

Quais são os fatores de risco para diabetes?

Os sintomas da diabetes certamente não devem ser ignorados e algumas pessoas, devido ao estilo de vida ou doenças pré-existentes tem maior chance de desenvolvê-la. Nesse caso, estamos falando especificamente do tipo 2.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, esses fatores de risco são:

  • Histórico de diabetes na família;
  • Pressão alta;
  • Alterações do triglicerídeos ou colesterol;
  • Sobrepeso;
  • Síndrome de ovário policístico;
  • Apneia;
  • Apresentou diabetes gestacional; dentre outras.

Quais os principais exames para identificar a diabetes?

Tratamentos e cuidados

Quais são os tratamentos para diabetes?

O tratamento envolve uso de medicamentos prescritos pelo médico e a adoção das seguintes atitudes e mudanças no seu estilo de vida:

  • Escolha alimentos alimentos ricos em fibras e com pouca gordura;
  • Substitua o açúcar por adoçante, de preferência stevia;
  • Controle seu peso;
  • Faça exercícios físicos regularmente;
  • Reduza o consumo de bebidas alcóolicas;
  • Pare de fumar;
  • Mantenha o colesterol e pressão arterial sob controle;
  • Verifique sua glicemia com regularidade;
  • Sempre consulte o seu médico;
  • Jamais abandone o tratamento;
Consutla com Endocrino com preço popular
Preço Por R$ 110

Quais cuidados os portadores de diabetes precisam tomar?

O paciente que é diabético deve adotar cuidados extras que são essenciais para evitar complicações e o desenvolvimento de novas doenças. São importante o acompanhamento regular com dentista (problemas odontológicos dificultam o controle da glicemia) e a consulta anual com oftalmologista para identificação precoce de alterações visuais e impedir o avanço das mesmas. Além disso é preciso ter muita atenção aos pés, que sofrem com a perda da sensibilidades e dificuldade de cicatrização.

  • Verifique seus pés diariamente (peça ajuda, se preciso);
  • Lave bem os pés e enxugue com um pano macio, principalmente entre os dedos;
  • Ande sempre com calçados confortáveis que cubram toda a extensão dos pés;
  • Inspecione os sapatos para evitar que pequenos insetos e objetos como pedrinhas causem ferimentos.
  • Escolha meias sem costura e troque-as diariamente;
  • Use hidratante ou óleo vegetal, evitando passar entre os dedos;
  • Corte as unhas em linha reta;
  • Evite “mexer” em calos ou pequenas lesões (bolhas, unhas encravadas, arranhões, etc.);
  • Informe ao profissional de saúde de sua confiança a existência de alterações nos pés.