Gestão de finanças: se organizando para cuidar de uma criança

A descoberta da gravidez é um momento muito emocionante, seja ela esperada ou de “surpresa”. Não é segredo algum que os pais sentem um turbilhão de sensações e elas podem variar entre a felicidade e a insegurança. Certo? Calma! Isso é perfeitamente normal. Afinal, você está trazendo uma criança ao mundo e ela será totalmente dependente de você por um longo período.Para os momentos de felicidade, nós não temos nenhum outro conselho além de: aproveite muito essa fase gostosa da vida!Já para a insegurança em relação às suas finanças, nós preparamos algumas dicas para te ajudar. Como? Simples, gestão de finanças. Não entendeu? O segredo para essa fase é planejar seus próximos gastos, sejam eles imediatos ou de longo prazo. E aí, ficou interessada? Então, continue a leitura!

Tenha certeza de que é possível trabalhar e manter uma família (se essa for sua escolha)

Nossa primeira dica é diretamente para as (novas) mamães. Se você está pensando que precisa desistir de sua carreira e dos seus objetivos profissionais, fique calma, não é bem assim.Sua saúde demandará mais atenção, como falaremos mais à frente, mas se essa parte estiver sob controle, não abandone seus sonhos profissionais ou acadêmicos. Imagine como será mais prazeroso retornar para seu trabalho ou faculdade, após o término de sua licença maternidade, se ali for um lugar onde você tem planos, objetivos e sonhos.Apenas aprenda a dividir suas atividades e a ter em mente que a sua saúde e a do bebê estão em primeiro lugar.Banner-Ebook-Acompanhamento-gravidas

Conheça quais são os principais gastos em cada etapa da vida da criança

Agora que você já sabe que continuar suas atividades é uma opção, você precisa pensar no futuro e, assim, aprimorar a gestão de finanças. Tenha em mente que nessa nova etapa você terá gastos de curto e longo prazo, e que para cada um deles há uma estratégia financeira diferente.

1. Curto prazo: organize suas despesas mensais

Para começar, faça duas listas. Na primeira, coloque suas despesas atuais. Todas, sem exceção. É preciso saber exatamente qual é a receita atual e quais as despesas da família. Na segunda lista, anote os gastos imediatos (e em médio prazo) a partir da descoberta da gravidez. Alguns deles são:
  • Acompanhamento médico;
  • Exames;
  • Medicamentos
  • Enxoval;
  • Móveis para o quarto do bebê;
  • Cadeirinha para o carro;
  • Carrinho para passear;
  • Fraldas, lenços umedecidos, pomadas e similares.
Quando as listas estiverem prontas, comece a pesquisar os preços dos itens necessários para o bebê. Após verificar a sua situação financeira (que estará na primeira lista), se organize para conseguir adquirir esses itens ao longo dos nove meses.Já em relação ao acompanhamento pré-natal existem algumas opções que trataremos no próximo tópico. Mesmo que você não possua plano de saúde, fique tranquila!

2. Longo prazo: se esforce para manter uma poupança

Os principais gastos com a criança serão educação e saúde. Nesse momento, é importante que o casal pegue a lista com o orçamento familiar e construa uma estratégia para poupar. Atualmente, existem várias possibilidades de fazer isso: investimento em títulos públicos, conta poupança, os títulos de capitalização, etc. Converse com o gerente do seu banco e explore as possibilidades. Lembre-se também de que é bom ter uma reserva acessível para emergências.

3. Em caso de emergências, avalie pedir um empréstimo

Muitas vezes surgem imprevistos que atrapalham o planejamento financeiro da família, havendo o risco de se perder o controle das dívidas. Nesse momento, pode ser viável fazer a solicitação de um empréstimo bancário para sair desta situação, tomando cuidado ao analisar as diferentes taxas de juros e outros encargos que os bancos possam vir a cobrar. Caso queira mais dicas sobre os cuidados e o momento ideal para pedir um empréstimo, leia este artigo da Bidu Corretora sobre o tema!

Tenha sempre em mente a sua saúde e a do bebê

Como falamos ao longo do artigo, o primeiro ponto de atenção após a descoberta da gravidez é a saúde. Para quem possui plano de saúde, essa é uma questão resolvida. Para quem não tem, no Brasil, existe o Sistema Único de Saúde (SUS) que faz o acompanhamento pré-natal de forma gratuita.Entretanto, existem aquelas mamães que não possuem plano de saúde e não tem condições de pagar clínicas tradicionais, mas que não querem fazer o pré-natal em hospital público.Para esses casos, existem clínicas que realizam consultas, exames, diagnósticos e tratamentos a preços acessíveis sem que seja necessário ter carteirinha ou pagar mensalidade.Seguindo nossas dicas de gestão de finanças, você terá uma gestação tranquila e com acompanhamento de qualidade, garantindo a sua saúde e a do bebê. Ficou interessado nessa opção de atendimento de qualidade e mais em conta? Então, acesse o nosso site e conheça a Clínica SIM!
Gostou? Compartilhe!

> Artigos relacionados

outubro rosa

Outubro Rosa: o câncer de mama durante a gravidez ou amamentação

gastos-durante-a-gestacao

Saiba os gastos durante a gestação e se prepare

Deixe seu comentário