Gravidez e faculdade: entenda quando vale a pena trancar o curso

gravidez e faculdade
Para quem estuda, a descoberta da gravidez pode trazer muitas dúvidas e ansiedade. Como conciliar gravidez e faculdade? E o trabalho, como fica? Será que dá para acompanhar bem as aulas durante a gestação e se concentrar na hora das provas? Será que a melhor opção é trancar a faculdade e focar apenas no bebê?Na maioria dos casos, dá para continuar estudando mesmo com a gravidez e a chegada do bebê, mas em algumas situações, trancar o curso pode ser uma boa opção. Quer descobrir quando vale a pena trancar o curso? Confira aqui no post de hoje!

É possível conciliar gravidez e faculdade?

Claro que sim! Com o apoio da família, um bom acompanhamento médico e organização, dá para estudar durante a gravidez e mesmo depois de ter o bebê.Além disso, assim como no local de trabalho, a faculdade também tem que se adaptar à gravidez e oferecer alguns benefícios à gestante, de modo a facilitar esse período da vida da mulher e não obrigá-la a trancar o curso.

Que benefícios são esses?

Pelo decreto 6202/75, toda mulher grávida tem direito a tirar uma licença de três meses dos estudos e não ter seu rendimento atrapalhado por isso. Assim, a partir do 8º mês, a mulher pode entrar em licença, estudar em casa e, ao retornar, realizar atividades avaliativas e trabalhos para compensar tudo o que foi perdido durante a ausência.Além disso, avisando os professores e os funcionários da faculdade sobre a gravidez, a mulher recebe mais compreensão em relação às faltas e até ao sono na sala de aula. Qualquer pessoa sensata compreende as mudanças que a gestante tem que enfrentar nessa fase e aceita que a performance como estudante pode cair um pouco.A grávida fica mais cansada, sente mais sono, tem que realizar consultas e exames médicos com frequência e tem diversas questões para resolver antes do nascimento do bebê, então, é normal que os estudos não sejam mais a prioridade.banner-ebook-exercicios-gravidas

Mas não é melhor trancar o curso por um tempo e focar no bebê?

Nem sempre. Uma vez trancado o curso, fica mais difícil voltar a estudar. Mesmo após o parto e os primeiros meses, o bebê demanda muitos cuidados e pagar outra pessoa para cuidar pode acabar não compensandofinanceiramente, o que faz com que a mulher se dedique exclusivamente aos cuidados da criança e deixe a carreira de lado.Assim, se está correndo tudo bem na gestação e você já está quase terminando o curso, o melhor é continuar estudando, mesmo que com uma carga horária menor após o nascimento do bebê. Depois, com o diploma na mão, fica mais fácil trabalhar menos e cuidar da criança sem comprometer a renda.

Quando trancar o curso é uma boa ideia?

Quando a gravidez está complicada e demanda maior tranquilidade e repouso da gestante, trancar o curso pode ser necessário para que a mulher e o bebê se mantenham saudáveis, por exemplo.Em alguns cursos, o aprendizado depende muito da presença do professor e da realização de atividades práticas, o que faz com que o período de licença não seja proveitoso para a mulher e o trancamento seja a melhor opção, principalmente em faculdades particulares, nas quais é necessário continuar pagando a mensalidade durante a licença.Além disso, se o bebê vai nascer bem no início do semestre e a mulher perderia a maior parte do semestre em licença, se a família ainda não sabe quem vai poder ajudar a cuidar dele ou se a mulher não tem pressa para formar, o trancamento é válido.Ainda tem alguma dúvida entre gravidez e faculdade? Entendeu quando vale a pena trancar o curso? Compartilhe com a gente suas dúvidas! Aproveite e confira agora qual o melhor tipo de parto para você e seu bebê!
Gostou? Compartilhe!

> Artigos relacionados

Dieta para grávidas: 5 alimentos necessários

sexo-na-gravidez

Sexo na gravidez: Mitos e tabus

Deixe seu comentário