Saúde da Mulher

O que é endometriose?

o que é endometriose

Você já sabe o que é endometriose? Apesar de ser uma condição com milhares de diagnósticos todos os anos no Brasil, muitas mulheres ainda não sabem as principais informações sobre o assunto.

A endometriose é uma condição crônica e muitas vezes dolorosa. Ela ocorre quando um tecido semelhante ao endométrio – que é o tecido que reveste o útero – cresce fora do útero em outros órgãos, como ovários, trompas de falópio, intestino e paredes externas do útero. Raramente, pode acabar tão longe quanto os rins, bexiga ou pulmões.

Quer entender melhor o que é endometriose, como é feito o diagnóstico e seu tratamento? Confira logo a seguir!

O que é endometriose?

A endometriose é um problema de saúde comum em mulheres. A condição recebe o nome a partir da palavra endométrio, o tecido que normalmente reveste o útero. A endometriose acontece quando um tecido semelhante ao revestimento do útero cresce fora do útero e em outras áreas do corpo onde não pertence.

Na maioria das vezes, a endometriose é encontrada no:

  • Ovários
  • Trompas de Falópio
  • Tecidos que mantêm o útero no lugar
  • Superfície externa do útero

Outros locais para crescimentos podem incluir a vagina, colo do útero, vulva, intestino, bexiga ou reto. Em casos raros, a endometriose aparece em outras partes do corpo, como pulmões, cérebro e pele.

Sintomas da endometriose

Os sintomas da endometriose podem incluir:

  • Dor. Este é o sintoma mais comum. Mulheres com endometriose podem ter muitos tipos diferentes de dor. Esses incluem:
    • Cólicas menstruais muito dolorosas. A dor pode piorar com o tempo.
    • Dor crônica (de longo prazo) na região lombar e na pelve.
    • Dor durante ou após o sexo. Isso geralmente é descrito como uma dor “profunda” e é diferente da dor sentida na entrada da vagina quando a penetração começa.
    • Dor intestinal.
    • Movimentos intestinais dolorosos ou dor ao urinar durante os períodos menstruais. Em casos raros, também é possível encontrar sangue nas fezes ou na urina.
  • Sangramento ou manchas entre os períodos menstruais. Isso pode ser causado por algo diferente da endometriose. Se isso acontecer com frequência, você deve consultar o seu médico.
  • Infertilidade, ou não conseguir engravidar.
  • Problemas estomacais (digestivos). Estes incluem diarreia, constipação, inchaço ou náusea – especialmente durante os períodos menstruais.

Causas da endometriose

Já vimos o que é endometriose e seus sintomas, mas o que causa essa condição?

Ninguém sabe ao certo o que causa esta doença. Os pesquisadores estão estudando as possíveis causas:

  • Problemas com o fluxo menstrual. O fluxo menstrual retrógrado é a causa mais provável de endometriose. Parte do tecido derramado durante o período flui através da trompa de falópio para outras áreas do corpo, como a pelve.
  • Fatores genéticos. Como a endometriose ocorre em famílias, ela pode ser herdada nos genes.
  • Problemas do sistema imunológico. Um sistema imunológico defeituoso pode não encontrar e destruir o tecido endometrial que cresce fora do útero. Distúrbios do sistema imunológico e certos tipos de câncer são mais comuns em mulheres com endometriose.
  • Hormônios. O hormônio estrogênio parece promover a endometriose. Pesquisas estão analisando se a endometriose é um problema com o sistema hormonal do corpo.
  • Cirurgia. Durante uma cirurgia na área abdominal, como uma cesariana ou histerectomia, o tecido endometrial pode ser retirado e movido por engano.

Prevenção da endometriose

Você não pode prevenir completamente a endometriose, mas pode reduzir suas chances de desenvolvê-la diminuindo os níveis do hormônio estrogênio em seu corpo. O estrogênio ajuda a engrossar o revestimento do útero durante o ciclo menstrual.

Para manter níveis mais baixos de estrogênio em seu corpo, você pode:

  • Conversar com seu médico sobre métodos contraceptivos hormonais – como pílulas, adesivos ou anéis – com doses mais baixas de estrogênio.
  • Exercitar-se regularmente (mais de 4 horas por semana). Isso também ajudará a manter um baixo percentual de gordura corporal. O exercício regular e uma menor quantidade de gordura corporal ajudam a diminuir a quantidade de estrogênio que circula pelo corpo.
  • Evitar grandes quantidades de álcool, pois as bebidas alcoólicas aumentam os níveis de estrogênio.
  • Evitar grandes quantidades de bebidas com cafeína. Estudos mostram que beber mais de uma bebida com cafeína por dia, especialmente refrigerantes e chá verde, pode aumentar os níveis de estrogênio.
Consulta com Ginecologista
Preço Por R$ 45

Como é feito o diagnóstico?

Para muitas mulheres, simplesmente ter um diagnóstico de endometriose traz alívio. O diagnóstico começa com um ginecologista ou outro profissional de saúde avaliando o histórico médico de um paciente e completando um exame físico, incluindo um exame pélvico.

Um diagnóstico de endometriose só pode ser certo, porém, quando o médico realiza uma laparoscopia, biópsia de qualquer tecido suspeito e o diagnóstico é confirmado examinando o tecido sob um microscópio. A laparoscopia é um pequeno procedimento cirúrgico no qual um laparoscópio, um tubo fino com uma câmera na ponta, é inserido no abdômen através de uma pequena incisão – permitindo determinar a localização, extensão e tamanho dos crescimentos endometriais.

Outros exames que podem ser usados no diagnóstico da endometriose incluem ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Tratamento da endometriose

O tratamento específico para endometriose será determinado pelo seu médico com base em:

  • Sua saúde geral e histórico médico
  • Sintomas atuais
  • Extensão da doença
  • Sua tolerância a medicamentos, procedimentos ou terapias específicos
  • Expectativas para o curso da doença
  • Sua opinião ou preferência
  • Seu desejo de engravidar

Se os sintomas forem leves, os profissionais de saúde geralmente concordam que nenhum tratamento adicional, além da medicação para a dor, é necessário.

Em geral, o tratamento para endometriose pode incluir:

  • Vigilância ativa para observar o curso da doença
  • Medicação para a dor: anti-inflamatórios não esteroides, como ibuprofeno ou outros analgésicos
  • Terapia hormonal, incluindo:
    • Contraceptivos orais, com hormônios combinados de estrogênio e progesterona, para prevenir a ovulação e reduzir o fluxo menstrual
    • Progestágenos sozinhos
    • Agonista do hormônio liberador de gonadotrofinas, que interrompe a produção de hormônios ovarianos, criando uma espécie de “menopausa médica”
    • Danazol, um derivado sintético da testosterona (um hormônio masculino)

As técnicas cirúrgicas que podem ser usadas para tratar a endometriose incluem:

  • Laparoscopia (também usada para ajudar a diagnosticar endometriose). Um pequeno procedimento cirúrgico no qual um laparoscópio, um tubo fino com uma lente e uma luz, é inserido em uma incisão na parede abdominal. Usando o laparoscópio para ver a área pélvica, o médico pode frequentemente remover os crescimentos endometriais.
  • Laparotomia. Uma cirurgia mais extensa para remover o máximo possível do endométrio deslocado sem danificar o tecido saudável.
  • Histerectomia. Cirurgia para remover o útero e possivelmente os ovários.

Quando consultar um médico?

Consulte um ginecologista se tiver sinais e sintomas que possam indicar endometriose.

A endometriose pode ser uma condição desafiadora para gerenciar. Um diagnóstico precoce e uma compreensão da sua condição podem resultar em um melhor gerenciamento de seus sintomas.

Você já sabia o que é endometriose? Quer consultar com um ginecologista? Marque sua consulta agora mesmo!